terça-feira, 13 de agosto de 2013

No último minuto



O último gole era o clímax da noite. Ele era metódico e não gostava de que a sua rotina fosse quebrada. Seus dias eram planejados, e contava exatamente quantos copos de água deveria tomar. Eram três: um de manhã, um no meio da tarde e o derradeiro antes de dormir.

Quando algum amigo o convidava para sair, de pronto dizia que não seria possível, e apenas bebia em seu copo, em sua casa, sentado no sofá enquanto assistia o National Geographic.

- Nós vamos aí, sem problemas! - disseram por telefone.

- 'Tá bom, mas eu não vou beber cerveja. - respondeu.

Em menos de trinta minutos eles já estavam sentados, acompanhando o futebol na televisão. A briga pelo controle remoto já estava ficando inconveniente.

- Eu aceitei a visita, mas é o meu horário de assistir TV. - reclamou, observando o seu copo na mesa de centro cercada por caixas de pizza.

- Mas você não consegue ficar UM DIA sem ver esses bichos? Que mania estranha, essa que você tem. - o rapaz, com uma camiseta de algum time, comentava em forma de chacota.

- Eu acho que cada um tem o direito de fazer o que quiser. - a réplica não ajudou na sua argumentação.

Eles continuaram assistindo os vinte e dois homens chutando a bola, comemorando, bringando entre si. Eram cinco pessoas em sua casa que faziam um barulho equivalente a vinte.

- Não gosto muito de futebol. Então vou pegar a minha água aqui e sentar ali do lado. - comentou.

- Pare com isso! Venha aqui.

Puxavam o anfitrião, que tropeçava nas pernas estiradas pela sala.

- Tá bom, tá bom! Vocês sabem ser irritantes.

Sentou-se em uma cadeirinha ao lado do sofá e ficou observando o seu relógio para ter certeza de que não perderia o momento mais importante do final do seu dia.

- Faltam cinco minutos! - comentou em voz alta, e a ansiedade começava a borbulhar dentro de si.

Ao mesmo tempo, o time do lado direito começou a realizar um ataque que possivelmente resultaria em gol. Os torcedores na arquibancada do apartamento começaram a alterar os ânimos e, no momento do chute, o rapaz do centro não conseguiu segurar o seu instindo e deu um pontapé, derrubando a mesa e tudo o que tinha em cima dela.

O copo voou. Todo o seu conteúdo jogado no chão, criando um tapete com os cacos de vidro misturados com a pizza sobrada.

- Seu malditos e o seu futebol de merda! Saiam da minha casa! - o temperamento exaltado surpreendeu os seus amigos que nunca o tinham visto agir daquela maneira.

Pediram desculpas, saíram e deixaram-o sozinho em seu apartamento.

Tranquilamente, foi até a cozinha, pegou um copo de plástico com desenhos de patinhos e encheu com a bebida do filtro. Arrumou o sofá, trocou de canal, e bebeu o líquido enquanto assistia um urso polar caçando peixes.

- E ainda falta um minuto. - sorriu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário