sexta-feira, 12 de julho de 2013

O dia em que eu pilotei uma nave espacial


- Surpresa! - toda a família dizia em coro, enquanto eu saía do meu quarto para tomar o café da manhã. Aparentemente aquele seria um dia diferente.

- Vocês vieram... - esfreguei os olhos, tentando encontrar o foco da minha visão. Sabe quando você acorda e não faz ideia de onde está ou o que está fazendo? Como se você tivesse esquecido o cérebro na cama, dormindo?

Comemos docinhos, demos algumas risadas, falamos de quando eu ainda era um bebê, e fui levado para o pátio de casa. Meu pai fechou os meus olhos e me guiou para que eu não tropeçasse e trocasse o meu aniversário por um corte gigante na cabeça. Confiei nele, como sempre fazia.

- Nós preparamos algo muito, mas muito especial, filho - a voz da minha mãe não continha a empolgação.

- Posso ver?

- Ainda não.

Ouvi um som de papel sendo rasgado. Continuei escutando isso por alguns longos minutos, e mais um pouco. Também percebi algumas crianças estourando o plástico-bolha que veio junto ao pacote.

- Ei, eu quero fazer isso. - falei, inutilmente.

- Certo, filho. Pode abrir os olhos.

Deixei as minhas pupilas se acostumarem com o brilho da manhã e tentei organizar os meus pensamentos para definir exatamente o que eu estava vendo.

- Isso é...

- SIM. É isso mesmo!

- Mas, mas, como?

- Bem, nós mexemos alguns pauzinhos.

- Vai lá! Pode entrar.

Subi as escadas e entrei na central de comando. Consegui enxergar tudo pelo vidro frontal do veículo. Pressionei o botão da ignição. Senti uma pequena pressão sob meus pés e percebi que estava flutuando.

- EU VOU DAR UMA VOLTA - gritei para o pessoal lá embaixo.

Fui ganhando altitude cada vez que acelerava e puxava contra mim o volante da nave. Os anos de curso para piloto infantil realmente valeram a pena.

Vi as estrelas. Vi a escuridão. Passei ao lado de um satélite e cumprimentei alguns nativos de um planeta amarelo, que eu não havia identificado qual era. Observei o trânsito espacial e dei alguns trocados para um malabarista de semáforo. Percebi como o universo era incrível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário