quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Um review definitivo para você assistir Six Feet Under

não contém spoilers
Em 2010 eu resolvi assistir uma série diferente de todas que tive a experiência de acompanhar. Em um comentário no Twitter vi que um perfil que escreve sobre o mundo da televisão americana fez uma lista dos melhores finais de séries da história, tendo entre eles Six Feet Under. Curioso que estava, logo após ter visto Lost e gostado bastante de como terminou, (muitos criticam, mas é questão de opinião, né?) eu comecei a procurar combustível para alimentar a minha necessidade incontrolável. 

Vasculhando os anais deste blog, encontrei um antigo post que fiz no dia posterior à maratona dos últimos episódios desta linda série. Como eu evoluí muito daquele ano para o que sou hoje, achei injusto manter algo tão ruim como o meu review de indicação da melhor obra televisiva que eu já vi em toda a minha existência.

Vamos ao que interessa...

Você pensa sobre morte? Imagina como poderia ser o seu funeral ou como os seus entes queridos se sentiriam com a sua partida deste mundo? Pensa para onde irá após a luz dos seus olhos apagar? São perguntas bizarras e que todos nós temos medo de responder. Muitos não temem a própria morte, mas o fato de deixar todas as pessoas que amam, aqui, desamparados.

Six Feet Under, como já diz no nome, é apenas sobre esse mórbido sentimento. Esse cheiro de flores artificiais que vêm com essência de rosas vermelhas. É a visão da fumaça das velas subindo pelo quarto escuro, enquanto o morto fica deitado totalmente branco e gelado. Mas, ao contrário do que você possa pensar, a morte não é tratada apenas de forma triste ou extremamente depressiva. Muitas vezes, é possível ver o assunto ser colocado no episódio com humor negro, ou com uma seriedade que nos faz pensar mais sobre a nossa vida.

Além de toda essa questão, Six Feet Under conversa conosco sobre preconceito, drogas, sexualidade, problemas familiares, dificuldades no trabalho, brigas entre sócios, orgulho e muito, muito mais. É uma verdadeira lição de moral para aqueles que vivem reclamando da vidinha que levam. 

Este é um drama pesado, mas que não enfia tudo pela nossa goela de uma vez. As situações vão ocorrendo lentamente, de acordo com a evolução de cada personagem. E, devo falar para você, meu amigo leitor, QUE PERSONAGENS. Você consegue se identificar com todos, até mesmo os que têm alguns distúrbios. Não tem como os odiar, a não ser ter pena do que eles enfrentam. 

Eu sou grato por ter tido a oportunidade de acompanhar as cinco temporadas da série, que entrou no ar em 2001 pela HBO. Vejam bem, esta era uma época que mostrar homosexuais se beijando (é bom exaltar a interpretação de Michael C. Hall), o uso exagerado de drogas, muito sangue e partes humanas sendo jogadas na nossa cara a cada minuto, eram tabus para toda a sociedade. Além das mortes, várias delas e cada uma com a sua individualidade bizarra.

Six Feet Under me fez meditar sobre tudo o que eu fiz ou deixei de fazer até hoje e, mesmo depois de anos após ter visto toda a série, ainda lembro dos 10 minutos finais mais bonitos da televisão, e o arrepio sobe pela espinha, me levando de volta àquele momento em que meus olhos se lavaram de dentro para fora. 

Você quer algo totalmente diferente e único para assistir? Veja esta obra de arte produzida por Alan Ball. Lembre-se: não será fácil e precisa de uma paciência extrema no início, mas uma vez dentro daquele universo da Funerária da Família Fisher, você nunca mais terá vontade de assistir qualquer outro drama. 

4 comentários:

  1. Gostei do review, mesmo nao sendo meu genero preferido, vou dar uma chance pra essa serie, parece ser um bom drama. Tu podia escrever algo sobre Fringe, se ainda assiste, agora que ta na reta final da serie, só mais 2 semanas :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, sobre Fringe eu já escrevi algo, mas acho que é uma boa ideia fazer um texto sobre tudo, depois que ela terminar.

      O texto, na verdade, é mais um resumo da história. Quero fazer algo mais no estilo dessa review de Six Feet Under.

      O link: http://www.pipilando.com.br/2011/05/fringe.html

      Valeu pelo comentário =D

      Excluir
    2. É, acho que um resumo ao estilo desse fica melhor, depois que a serie terminar. Eu ja tinha procurado esse texto antes ;D
      Tem um blog, que o autor fez varios posts sobre fringe, esse http://popeseries.blogspot.com.br/ , é bem interessante, se quiser dar uma olhada. Ainda bem que DW ta no ar, pq Fringe vai dexar saudades, falta 3 episodios, e nas fandoms que acompanho, a maioria nao tem a minima ideia de como vai ser, só teorias, teorias, esse é o lado bom de Fringe, sempre surpreende.

      Excluir
    3. Se for ver, a maioria dos meus textos de séries precisam ser reescritos. Na época a preguiça tomava conta e eu preferia apenas falar uma ou outra coisa.

      Vou dar uma olhada no site. E sobre o final: não faço ideia do que poderá acontecer.

      Excluir