sábado, 15 de dezembro de 2012

Séries psicologicamente legais que você (talvez) nunca tenha visto

Hoje eu estou entrando em um campo vasto do nosso corpo: o cérebro. Apesar de não entender bulhufas sobre como funciona essa massa estranha que armazena tudo o que nós somos, até mesmo os sentimentos (surpresa, não é o coração que faz amar), quero indicar algumas séries divertidas que eu já assisti e que falam sobre as capacidades que temos neste infinito mundo de possibilidades chamado mente. 

Vale ressaltar que eu nunca estudei psicologia ou qualquer coisa do tipo, muito menos li filosofias de Freud e seus camaradas. E nem venha falar que alguma série está faltando na lista, porque eu não assisti todas as coisas do universo. Aqui eu vou falar somente das que eu obtive conhecimento nestes meus vastos anos de "assistimento serieadístico". 

Lie to Me - Nos tempos em que passava era uma das mais legais. Deu umas cagadas fortes na terceira temporada e acabou, mas vale lembrar toda a grandiosidade da série enquanto ainda tinha boas histórias. A ideia central é o comportamento humano, a linguagem corporal. Cal Lightman tem uma empresa que ajuda a resolver crimes ou situações, graças à habilidade dos profissionais em saber se a pessoa está mentindo, nervosa ou qualquer outra coisa, apenas com os seus movimentos, ações. É interessantíssimo e eu até tentei me envolver mais nisso enquanto assistia, mas não consegui descifrar muito o que as pessoas estavam querendo apenas olhando para elas. Vale conferir, apesar de a série não ter final.

Mental - Infelizmente essa tem apenas uma temporada. Faz muito tempo que eu assisti e até teria que ver novamente para dar um completo diagnóstico sobre ela, mas vamos tentar. Olhando um pouco na Wikipédia consegui lembrar que o nome do personagem principal é Jack Gallagher e ele é um médico (psiquiatra) que está cuidando na parte adoidada de um hospital. Lá ele ajuda os pacientes a se livrarem dos seus problemas com soluções malucas. Ele vai além das regras, é odiado muitas vezes, mas se mostra extremamente competente em seu trabalho. Acho que assisti a série em uns dois dias e fiquei muito frustrado ao saber que só tinha treze episódios.

Dollhouse - Mais uma cancelada. Aparentemente o público dos EUA não é muito fã do cérebro. E eu até consigo entender o porquê. Dollhouse se passa em uma casa meio estilo de reabilitação. As pessoas que estão ali querem esquecer quem são, não querem mais viver o que estão sofrendo, então fazem um acordo e pagam um bom dinheiro para a empresa responsável apagar todo o seu cérebro e inserir outra personalidade nelas, geralmente de pessoas mortas. Clientes de fora vão até essa empresa e pedem para que os cientistas coloquem a mente de um ente querido nestas "bonecas-pessoas" para que consigam passar mais um dia com os amados. Algo meio bizarro, mas interessante demais.  Terminou na segunda temporada, mas eu indico bastante.

The Mentalist - Acho que foi a primeira série que eu comecei a assistir quando entrei neste mundo incrível, e continua sendo uma das minhas favoritas, apesar de alguns tropeços aqui e ali. Patrick Jane é um consultor de uma agência de polícia e ajuda a resolver os crimes com sua esperteza e capacidade de notar detalhes que os outros não veem. Gosta muito de usar métodos estranhos para a polícia, mas que sempre dão certo. A sensibilidade dele ao falar com as pessoas, tocar seus pulsos, visualizar suas maneiras é o que transforma tudo muito fácil para o protagonista encerrar todos os casos que encontra. Indico fortemente, principalmente porque a série tem um vilão e te deixa sempre preparado para criar teorias.

Awake - Esta aconteceu esse ano e também tem apenas uma temporada. O protagonista sofreu um acidente de carro e, após isso, começou a ter sonhos doidos: em um, sua mulher estava viva e o filho morto, e no outro, ao contrário. Aqui temos encontros marcados com psicólogos que tentam entender o que está acontecendo na mente do policial, que agora consegue investigar crimes e resolvê-los em paralelo. Ele vê dicas sobre como desvendar os mistérios em cada um dos seus sonhos.

Esse é o resumão do que eu assisti/assisto e que tem a mente humana como o principal fator. Espero fazer outros textos assim com outros assuntos também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário