domingo, 28 de outubro de 2012

Um Conto de Natal

Todos os anos, mais ou menos nessa época, eu preciso publicar que o Natal está batendo à porta. Já virou rotina e venho fazendo isso há dois anos. Creio que não tenha no universo uma data mais legal que essa, tirando o meu aniversário, claro. Se bem que o Dia do Meu Nome é tão perto do Dia do Papai Noel que eu nem sinto muita diferença. Apesar de faltar bem mais de um mês até chegar o 25 de dezembro, acho justo falarmos que o clima já está aqui.

Eu vejo panetones em cima da mesa, enfeites toscos pendurados nos postes de luz da cidade. Tudo está preparado para que o bom velhinho desça em seu trenó e nos traga presentes (para mim pode ser livros ou um novo iMac). Espero, realmente, que aquele panetone que eu comi não seja apenas uma sobra do ano passado, porque estava muito bom. Ah, os conservantes...

Ao contrário de muitos, não fico me apegando nesse blábláblá de que o Natal só serve para inflar o comércio. É óbvio que isso acontece, mas dizer que odeia essa época usando essa desculpa de comunista que usa iPhone é muito triste. E não há nada melhor nesse mundo do que largar de ser cabeça dura e entrar no "espírito Natalino" novamente.

Devo confessar que, há um tempo, eu falava que o Natal tinha perdido a graça e que não era a mesma coisa de quando eu era criança. Isso foi até eu entrar no clima de Doctor Who (de novo essa série, né? Creio que ela fez eu mudar os meus pensamentos em todos os sentidos), porque todos os anos eles fazem um episódio especial de Natal que vai ao ar bem no dia 25. Quão legal é isso? E é bem mágico.

Por isso indico aos amigos que estão lendo esse post agora: primeiro leiam o livro de bolso "Um conto de Natal", depois vão até a sua locadora de internet mais próxima e aluguem legalmente o episódio de Doctor Who "A Christmas Carol", e sejam felizes. Mas façam isso apenas quando chegar o tempo natalino. Vocês verão como tudo fica mais legal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário