segunda-feira, 25 de junho de 2012

O 3º ano do Ensino Médio foi o melhor da história

Dizem que os tempos de faculdade são inesquecíveis, mas não posso concordar muito com essa frase. Claro, sempre tem os seus momentos, porém nada é tão legal como passar praticamente a sua vida com colegas e depois se despedir deles aos prantos na noite da formatura. Certamente o meu Ensino Médio, principalmente o 3º ano, foi o mais legal de toda a geração. Duvido que existiu turma tão divertida quanto a minha, naquela época. Sinceramente, a Escola Imlau nunca mais foi a mesma desde a nossa saída.

Eu era o presidente, aí já era possível ver todo o estrago. Apesar de sempre gostar de ser uma pessoa comportada, dar bom exemplo e tirar notas ruins, no terceiro ano eu me deixei levar um pouco pela zoeira que a galera fazia. Não que eu destruía a sala de aula, mas havia cansado de ser o presidente chato que só anotava nomes de quem conversava. Resolvi apenas usar a presidência para poder dar algumas voltinhas no saguão e ter passagens aéreas grátis para todos os países do mundo. 

A escola era legal e eu tinha os melhores colegas do mundo. Eu odiava ir, estudar e fazer as coisas obrigatórias, mas sempre voltava com um sorriso no rosto ao ver todo o pessoal reunido e tramando colas para as provas de matemática. Uma coisa que fez o meu cérebro dar um "clique" de que eu não veria muitos daqueles colegas de novo nos próximos anos, foi quando resolvi, juntamente com as minhas outras colegas que planejaram a festa de formatura, tirar fotos e gravar vídeos de todos os acontecimentos das aulas, pouco me importando se fosse xingado ou não pelas vítimas. Eu sabia que no final do ano teria muita gente chorando.


Então, foi em um teatro de literatura que as primeiras fotografias foram tiradas. Procuramos pegar os melhores momentos do fiasco apresentado pelos colegas. Gurias vestidas de homem, viagem de ônibus para Portugal e centenas de risadas com os erros recorrentes. Lembro que o meu teatro era uma espécie de "Jornal Nacional" sobre o livro clássico que havíamos "lido". Eu até briguei, porque queria o papel de jornalista e entraria nessa faculdade no ano seguinte.

Muitos dias passaram, fotos foram tiradas, vídeos dos colegas pegando o capuz da minha jaqueta e colocando na minha cabeça "OLHA O SACO, PRESIDENTE" e eu morrendo de rir sem controle, com a professora olhando com cara de "vou matar alguém hoje". Na mesma aula um colega estava lendo um texto de filosofia, creio, e o cara do lado deu um tapão, fazendo-o cair.

Os intervalos entre as aulas eram os melhores. Nós íamos até o corredor, falávamos bobagens. Muitas vezes as professoras se atrasavam, então éramos a única turma fazendo baderna lá fora. Até que alguém subisse e mandasse todos ficarem quietos.

Em meio a tantos momentos históricos, tivemos o pessoal da UNIMED que deu aulas para nós sobre sexualidade e eu tive que participar de uma apresentação sobre como colocar uma camisinha. Sabe por quê? Porque ninguém parava de gritar "VAI LÁ, PRESIDENTE". Foi vergonhoso, mas pelo menos é mais uma memória.

Apesar de muitos dos colegas que estão lendo agora nunca terem participado, duas meninas (Aline e Paula) e eu fazíamos um grupo de estudo aqui em casa, na casa delas ou na escola mesmo, para tentar passar nas provas de física, química e biologia. O melhor é que ninguém nunca sabia nada e nunca íamos bem. Pelo menos boa parte do vídeo do final de ano foi editado nestes dias.

Como a sala geralmente era: não existia mais filas, todos sempre sentavam em duplas ou, na verdade, a classe toda era uma só. Éramos em 50, então não tinha espaço nem para respirar. Eventualmente algumas brincadeiras aconteciam, como: virar mesas de cabeça para baixo e fazer "carro-choque"; produzir um super-avião com cartolina nas aulas de sábado; ir até o ginásio e não ouvir o sinal bater, tendo que voltar em silêncio para a sala; pegar o apagador e bater na cara da pessoa mais próxima; ler  qualquer coisa, menos os livros que deveria; etc etc

Infelizmente perdi todos os vídeos e fotos, o que me arrependo mortalmente neste momento. Mas deixo tudo guardado na memória. Foi um dos anos mais legais que tive e, apesar de dizer que nunca mais queria voltar, sinto muita saudade de todo o pessoal naqueles dias onde não precisávamos nos preocupar com quase nada. Eram bons tempos que, infelizmente, não voltam mais e passaram voando.

Valeu, galera!

PS: se alguém lembrar de algo, posta aí nos comentários.

Um comentário:

  1. Joe pura verdade, tempos que nao voltam mais, eu pensava sinceramente em rodar só para poder ficar mais tempo, pra que nao acabasse, gente foi mto triste o video com as fotos que passaram na formatura la na janta, ate hoje nao posso ouvir a musica que tu colocaste como trilha (open you eyes certo?) nao consigo ouvir de jeito nenhum, a saudade é imensa, e realmente, nao tinhamos preocupaçoes como hoje, faculdade, tccs, e ainda trabalhos, e outras responsabilidades onde precisamos nos dividir em 100 para conseguir dar conta.... muuita saudade!

    ResponderExcluir