segunda-feira, 19 de março de 2012

Você tem algo legal? Então é só esperar, pois alguém vai pedir emprestado

Ah, a vida... Como ela nos proporciona tantas coisas emocionantes. Um dia, por exemplo, estava eu caminhando para ir até o lugar onde faço a economia girar e, atento às maravilhas das paisagens da cidade, observei uma porta de uma casa sendo aberta. Lá de dentro não saiu o Batman, não saiu o Silvio Santos, nem o capeta... mas com certeza a visão foi pior do que olhar o inferno: uma idosa estava de "maiô" (já estão imaginando, né?) e catando alguma coisa no pátio. Acho que nem preciso mais comentar nada. Mas eu fico feliz com tais experiências, somente elas me fazem capaz de poder escrever introduções tão épicas como essa. Nem o melhor filósofo do mundo poderia descrever tão bem o verdadeiro sentido da vida.

E é sobre ela que vamos falar. Não a idosa. A vida. Eu sempre morei perto da escola onde estudava, o que fazia dela o primeiro lugar para todos os meus coleguinhas virem brincar. Nada de errado com isso, nos divertimos muito nesses tempos. Também era bom, porque todos os trabalhos eram feitos no conforto do meu sofá, sem eu precisar sair e ir na moradia de outra pessoa. O estranho é, que depois de um tempo, o que deveria ser um local para reunir amigos, se tornou um antro de favores.


Sabe quando você conhece alguém que não é capaz de procurar uma resposta no Google e vem perguntar no MSN? Praticamente isso. No início, logo quando ninguém tinha internet (nem ao menos a discada), meus aposentos se tornaram a melhor Lan House do mundo, porém com uma grande diferença: só o meu computador era usado. "Jonathan, deixa eu ver meu orkut?" - "Eu quero entrar em umas comunidades muito legais. Posso ir na tua casa depois da aula?", etc, etc. Quando veio a banda larga aquilo dobrou. Era galera querendo ficar uma tarde inteira conversando no MSN. 


Não que eu reclame, eram bons tempos e nem todos tinham ainda a capacidade financeira de ter um computador. O verdadeiro ponto chave deste texto é: não importa o quanto você se esforce, aprenda, faça tudo para conseguir algo, sempre vai ter alguém para vir pedir emprestado. E eu sou uma daquelas pessoas que são bem egoístas quando o assunto é dividir algo com alguém. Vale lembrar o seguinte: família e tudo mais está permitido. Mas só.

Eu tenho regras e estas devem ser muito bem cumpridas:
  1. nunca peça meus livros emprestados. Eu comprei todos e não sou uma biblioteca. Já tive o desgosto de empresar e alguns voltaram destruídos.
  2. Tente fazer antes de pedir o meu conhecimento. Não que eu seja um gênio, mas algumas coisas eu me destacava na escola, por exemplo: fazer coisas no computador. Era texto, era criar vídeos, áudios, editar até o filho do diabo. Não, eu não vou fazer. Claro, pagando bem, aí a conversa é outra.
  3. Tenho outras regras, mas não quero escrever.
Uma vez um rapaz pediu um CD do Iron Maiden emprestado (os meus CDs eram as coisas mais protegidas do universo). Fui lá e emprestei para o cara, dizendo que queria de volta no outro dia. Quando vejo, semanas depois, o CD estava trincado. Ainda mantenho ele guardado, somente como coleção.

Então, se você também tem esse problema, vamos nos unir em um exército e destruir todos. 

Um comentário:

  1. Bem minha cara HAHA tudo tinha que ser no meu computador e eu odiava, mas... fazer o quê, né.

    ResponderExcluir