quinta-feira, 1 de março de 2012

Não me arrependo nem UM segundo de estar cursando Inglês

Quando eu era um simples estudante do Ensino Médio em minha querida escola, não conseguia entender nem o que era o verbo to be, o que não é novidade para ninguém neste mundo. Eram provas com notas baixas, traduções idiotas e um inferno para decifrar o que uma frase estava querendo dizer. Qual é a diferença entre "do" e "does"? Pra que serve toda essa porcaria?

Eis que saí da escola e fui viver um universo diferente: faculdade. Nós sabemos que hoje é impossível ter uma boa profissão se o candidato não tem, pelo menos, um curso de idioma e, o mais importante, o domine bem. De nada adianta ficar anos estudando se ainda precisa usar a tradução para compreender o que os interlocutores estão querendo dizer. Como ia dizendo, ainda na faculdade pensei em iniciar aulas de inglês, porém nunca achei uma escola que matasse todos os coelhos com muitas cajadadas, até que encontrei a TopWay. Não, este não é um post patrocinado, mas é inevitável citar a empresa. O método ensina para você o idioma em 18 meses. "Ai, querido, lindo, maravilhoso escritor, mas isso é impossível!". Para você, que bota na cabeça e não tem vontade de aprender. Vamos aos exemplos?


Nas minhas primeiras aulas, há mais de um ano, eu conseguia já compreender razoavelmente o que os professores falavam (provavelmente por causa das séries e filmes), não era grande problema entender. Aos poucos fui pegando o jeito de pronunciar, formular as minhas ideias e pô-las para fora da boca automaticamente, sem precisar separar palavra pro palavra, pegar o dicionário do cérebro, traduzir e depois criar uma sentença. Tudo sai naturalmente, como no português. É praticamente a mesma forma de ensino como quando nós (eu e você) aprendemos a falar.

Hoje, faltando um pouco mais de um mês para finalizar o curso, consigo ler artigos da internet, assistir filmes e séries com legendas em inglês, me comunicar tranquilamente (claro, algumas coisas ainda precisam ser melhoradas), mas conseguiria ir para outro país sem qualquer problema e com a certeza de que não me "apertaria" na hora do vamos ver.

Um dos meus maiores medos era comprar os livros originais, nunca tinha certeza se seria capaz de entendê-los completamente. Nos últimos meses, John Green revelou o seu novo livro 'The Fault in Our Stars' (lindo, por sinal. E ainda vou falar dele em um texto futuro). O grande problema é que as obras deste autor não têm traduções para português, somente "Looking for Alaska" (Quem é você, Alasca?). Eu arrisquei e adquiri o novo livro de John. No início da leitura eu estava um pouco travado, pois tinha medo de não entender algo, mas aos poucos fui me soltando e tudo fluiu com naturalidade. É claro que eu não compreendi algumas coisas, porém procurei focar no contexto e não nas palavras. Esta foi a primeira leitura que fiz deste livro, ainda pretendo fazê-lo umas duas vezes mais.

Estes são apenas alguns exemplos das oportunidades que tive ao aprender um novo idioma. É algo que, com certeza, levarei para a vida toda. E muito mais que isso, a mensagem que recebi ao terminar 'The Fault in Our Stars' foi única e somente foi possível graças ao curso.

2 comentários:

  1. concordo plenamente, e foi você quem me indicou para o curso na Topway!Obrigada Estou amando =) e não passo mais vergonha quando o assunto é English AHUIhuahhUI

    ResponderExcluir