terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Está oficialmente aberta a temporada de estudos

Não para mim, pois ainda estou tentando encontrar o meu lugar ao sol, o que me faz lembrar de uma bela música cantada pelos amigos do Jota Quest: "E se quiser saber pra onde eu vou. Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou". Aliás, como é idiota o nome "Jota", né? Existem pessoas com tal nomenclatura. Os pais devem ter pensado: "pega uma letra aí o alfabeto que tá beleza". Nada contra, amigos leitores chamados Jota, somente é curioso. Mas não posso parar por aí, minha liberdade de expressão me proíbe fechar a boca para algumas coisas. Vejamos: alguém se chama "L"? Seria Ele. E se os pais dessem o nome para uma menina de Ele, como funcionaria a cabeça deste ser humano?

É muito importante entender o cérebro de uma criança antes de podermos comentar sobre os estudos. Tudo o que acontece na escola depende das características vindas da casa da pequena criatura. Ninguém dá o nome para o filho de Bostão, pois ele seria extremamente avacalhado por seus coleguinhas. O bom senso dos patriarcas requer que nomeiem o fruto de seus ventres com algo sensato, como por exemplo: Jonathan. Se for seguido de Holdorf é melhor ainda. Assim fica completa a fórmula do nome perfeito: Jonathan Holdorf.


Agora que entendemos os fatores que estragam a vida escolar das pessoas, podemos discutir sobre o início do ano letivo. Muitos dos nossos jovens iniciaram suas grandes jornadas nestes últimos dias. Começa novamente o ciclo de decorar textos e contas para as provas. Porque, meus amigos, não existe um ser vivente que diga que realmente estuda para testes. No meu tempo (há uns quatro anos. Já? Puta merda), eu tinha um grupinho de "estudos". Nós nos reuníamos nas nossas casas com os cadernos incompletos e comprávamos salgadinho, Coca-Cola, ligávamos o PC e adeus. Estava eu a lembrar como gostava de Química e sempre explicava quando possível.

Não sei se é correto dizer que sinto saudade disso, é complicado falar depois que já saiu do inferno. Com certeza achava legal conversar com os amigos, jogar super trunfo etc etc etc, mas nunca fiquei tão feliz por ter saído e me livrado de tudo aquilo. Lembro muito bem do dia que caminhei pela última vez do portão do colégio para fora. Creio que seja mais ou menos o mesmo sentimento que tive quando tranquei oficialmente a faculdade. Se eu pretendo cursar outra coisa? Obviamente, mas estou em uma situação que me impede tomar qualquer decisão. Estou em um estágio que dá experiência pro mercado e na minha cidade não existe uma faculdade que preste, que realmente eu tenha vontade de fazer. Vamos assim por enquanto.

E os amiguinhos, felizes por estarem iniciando uma nova etapa em suas vidas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário