quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O mundo mágico das correntes por SMS

Bela a vida, esta da comunicação móvel. Lembro-me muito bem do tempo onde não haviam celulares, smartphones, notebooks e qualquer outra coisa parecida. O caos estava estabelecido. Aliás, nem sei como as pessoas viviam naquela época (bem, tinham a vida muito mais movimentada que hoje). Mas com a tecnologia vêm os problemas, sempre criados por nós, brasileiros.

O nosso povo ama criar piadas repetidas e mensagens hipócritas sobre qualquer assunto, vide Facebook. Estamos rodeados por "compartilhe se você gostou"; "cuidado com a Samara"; além das incríveis fotos de animais torturados e gente caindo aos pedaços (quando eu falo incríveis, leia-se no modo irônico). Quando eu ainda possuía o clássico Nokia 1220, estávamos no auge da comunicação móvel. Os SMS eram as redes sociais da época. Curiosidade: o Twitter foi criado justamente por causa das mensagens de texto.


Recebíamos bichinhos que se movimentavam de acordo com o descer do botão do teclado. O trabalho para desenhar um urso que se movia através de caracteres era algo de se invejar. Também era seguido receber mensagens de carinho, fé, amor e libertação pessoal (ora bolas, se você receber correntes é óbvio que precisa se libertar). Mas isso acontecia NAQUELE TEMPO, você deve dizer. Não, meu caro amigo leitor, não mesmo. Recentemente adquiri um Samsung Galaxy S e também resolvi colocar um chip nele, pois eu nunca precisei muito de celular na vida, porém desta vez resolvi dar uma chance. Eis que recebo uma mensagem nova (surpresa para mim, porque nem tive tempo de revelar meu número ainda), o texto continha: "seu troxao". Veja só, já não basta ser xingado pela internet. E um dia depois me mandam alguma coisa sobre fé e esperar 15 segundos para aparecer a mulher amada na tela, algo do tipo.

Esse é o mundo que estamos, sempre nos aprontando das suas poucas e boas.

_

PS: desculpem-me se o texto não foi uma maravilha, mas eu realmente estou meio no estresse no dia de hoje, então fiz algo menor e tal. Espero que gostem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário