segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Acho que uma das maiores verdades da sociedade contemporânea e até mesmo das antigas civilizações nômades é que todos somos fãs de algo, é inevitável. O ser humano necessita viver adorando uma pessoa famosa ou qualquer outro personagem que tenha mais dinheiro e apareça todos os dias na televisão. Não critico isso, é legal, até mesmo a mais perfeita criatura terrestre possui este carma dentro de si (e espero ter usado a palavra "carma" corretamente, sempre ouço falarem isso, mas nunca sei como colocar em uma frase. Acho que dá um efeito legal, enfim).


Quando ouvimos uma banda nova, queremos logo conhecer os que fazem parte daquela criação divina chamada música; precisamos ir em um show para dizer que estávamos lá; uma simples assinatura em uma folha de papel para representar que aquilo tudo fora real. É incrível como um ato comum, que qualquer pessoa do universo poderia fazer, ganha um valor inestimável quando feito por alguém famoso. Vira pedra preciosa, ouro esperando ser polido, diamante em um colar. O sentimento é de grandeza, magnitude.

O problema é quando isso para de se tornar algo de "fã" e se torna uma obsessão. A pessoa perde o controle de seus sentidos e acha que somente ela pode cultivar o amor platônico pela pessoa/música/filme/atores, o que quer que seja. Ela não divide mais com ninguém e se torna "dona" de uma coisa que até aquele momento era pública.

Algum gênio publicou isso no twitter:

Acho que existe uma grande diferença entre ser fã de algo e ser obsessivo. - @jonathanholdorf
É a pura realidade, pequenas criaturinhas, quando deixa-se de admirar e torna-se uma doença, uma perseguição, podemos dizer que talvez não tenha mais jeito de curar e só resta esperar para que isso um dia acabe.

Eu preferi não falar nomes de artistas nem nada, porque creio que em todos os lugares isso acontece, e é triste, pois não existe coisa mais chata do que alguém taxando uma pessoa de ser mais ou menos fã que a outra, pelo simples fato de "gostar" de uma coisa algum tempo antes que você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário