quarta-feira, 13 de julho de 2011

Graystone #2: Esperança

Então o menino tentara desesperadamente sair correndo, aquele rosto negro, magro, e sem expressão o assustara de uma forma que nunca havia sido antes. Ele caiu, e a queda o fez bater a cabeça fortemente em uma pedra que lá estava, ficara horas e horas desacordado, parado na chuva com o único sangue que ainda restava ecorrendo pelas poças de lama.

Muito tempo depois, aos poucos Peter foi abrindo seus olhos e observou, com uma visão totalmente desfocada, uma casinha aconchegante e com um maravilhoso cheiro de chá e bolos de mel. Foi aos poucos tentando se levantar, porém um homem se aproximou e passou um pano com um odor forte de menta debaixo do nariz do garoto. Imediatamente ele já estava roncando.


O homem estava todo vestido de preto, seus poucos cabelos penteados para o lado, e com uma xícara na mão, observava cada movimento do adormecido menino que nem fazia mais questão de acordar. Devagar, o misterioso rapaz pingou no nariz de Peter algo que parecia ser muito forte, pois o acordara imediatamente. Assustado e, novamente, sem saber onde estava, exclamou:

- Quem é você? O que você quer? Me tire daqui já!

- Uma pergunta de cada vez - disse o homem que parecia tranquilo, como sempre.

- O que eu estou fazendo aqui? - falou Peter com a mesma veemência.

- Acho que preciso lhe dar algumas explicações. Bom, meu nome é Robert Jr e poucas pessoas deste mundo realmente me conhecem. Eu venho de uma época em que ninguém fazia tantas perguntas assim, devo dizer que estou assustado. Venho lhe procurando há muitos e muitos anos, você é especial.

- Especial? Como assim? - exclamou o garoto. 

- Seus pais o abandonaram há trinta anos, pois perceberam que você não crescia mais, e isso não significa que você tenha algum problema de desenvolvimento, você foi destinado a viver somente até os 9 anos, idade que você tem agora. Eu sou dono de um lar onde levo todas estas crianças para conviverem juntas e, assim, tentar torná-las adultas, porém nunca conseguimos fazer o experimento dar certo. Sabe o rádio que você escutava todos os dias? Eu entrego para todos os pais no dia do nascimento.

- Mas isso é impossível! Existem milhões de pessoas que nascem ao mesmo tempo no mundo. Como você conseguiria fazer isso? - disse o menino, impressionado.

- Claro, não sou somente eu que faço as entregas. Deixe-me explicar melhor. Este lar existe em todas as cidades do mundo, e cada um de nós é responsável por entregar o rádio para cada pai, uma espécie de “presente” do hospital. No início, este rádio toca musiquinhas de ninar, mas que passam a mesma mensagem aos bebês. Depois, quando vocês chegam na “maior idade”, ou seja, 9 anos, vocês começam a ouvir sobre Graystone, como se lá fosse uma incrível cidade. De fato, é, porém Graystone é o nosso lar, e quando percebemos que alguém está ouvindo o rádio, começam as buscas pelas crianças. Ou você nunca notou que as pilhas nunca acabaram? O rádio é eterno, até que alguém venha buscá-lo.

O menino não conseguia acreditar no que acabara de ouvir, tudo parecia mais um sonho esperançoso que ele tivera. Mas não era, tudo aquilo realmente estava acontecendo e, finalmente ele teria a oportunidade de viver em Graystone.


Nenhum comentário:

Postar um comentário