quinta-feira, 2 de junho de 2011

As peripécias de um universitário #1: Princípio

O dia era ensolarado quando ele começara sua jornada em busca do conhecimento profissional. Era muito cedo de manhã, e as horas não passavam, talvez pelo medo de que algo pudesse dar errado no seu primeiro dia de estudante daquela faculdade.


Quais as expectativas? O que iria acontecer naquele lugar completamente desconhecido, com gente mais desconhecida ainda? O rapaz olhava, temeroso, todos os veteranos se abraçando e comemorando mais um dia de aula. E ele? Buscava ao seu redor algo para se distrair. "Que diabos eu vim fazer aqui?" pensava.

Ao perceber que muitos estavam procurando os seus nomes no mesmo painel do curso que ele havia escolhido, ficou mais aliviado e tentou seguir os passos dos futuros colegas, e ver até onde eles o levavam. Timidamente foi descendo as escadas para achar sua sala de aula. Lá era onde tudo deveria acontecer. Deveria.

Apresentações fantásticas, shows incríveis, recepção excepcional. Era tudo perfeito para o início de uma jovem, porém brilhante carreira. Era tudo perfeito.

Aí veio o segundo dia. Nada havia mudado ainda, tudo era novo e tranquilo naquela época. Todos estavam extremamente empolgados para as surpresas que uma vida universitária poderia proporcionar. Alguns estavam só esperando a primeira festa, ele só queria se dedicar aos estudos, voltar para casa e dizer o quão incrível aquilo tudo era. Mágico, quem sabe?

Primeira semana já passara, a segunda também, mal percebeu e o final do semestre estava por vir e suas notas eram grandiosamente satisfatórias, dignas de um quadro na parede, até mesmo um evento especial para apresentar o boletim de desempenho: zero faltas, muito dez, muito nove, muito oito.

O que poderia ser melhor que isso?

Já não aguentava esperar para as férias acabarem e o segundo semestre vir correndo pelas montanhas sentido a brisa no rosto para abraçar a alegria de mais um ano de estudos. Um sonho se tornando a maior das realidades. Aquilo era bom demais para ser verdade. Era.


Um comentário:

  1. nabmaznahtanoj@ (:junho 02, 2011

    ótimo texto, Jonathan.
    sinto que parafraseou algo que você próprio esperara, quando ingressou na universidade. se estou certo? bom, é apenas uma opinião desfundamentada.

    ResponderExcluir