segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Eu sou um serial killer

Eu sou um serial killer.

Mas, aqueles que matam pessoas mesmo?

Sim, o que você pensou que seria? Um serial killer que mata minhocas?

Você, hein? Além de assassino é um mau caráter que se acha irônico.

Sou um psicopata, não sou irônico. Não preciso ser.

Deixa para lá. Responda-me, o que faz um serial killer, de onde vem essa “fome” de matar as pessoas?

Primeiramente um serial killer mata. Acho que você está com dificuldades de entender inglês aqui, vou traduzir para você: serial killer é assassino em série. Ou seja, nós matamos porque gostamos, ou sentimos necessidade de matar. Tudo o que fazemos precisa de um ritual, é sempre igual, sempre. O importante é nunca ser pego pela polícia.

Ah, entendi. Então o assassino em série mata porque está no sangue dele?

Não, mata porque tem uma faca.

Amigo, a discussão está começando a ficar um pouco difícil aqui, vamos manter o foco?

Foco. Isso é importantíssimo para mim, pois se eu perdê-lo, coitado de mim. Se é que alguém teria pena de um monstro como eu.

Monstro? Que coisa cruel de se dizer. Você não acha melhor ser chamado de “Anjo da Morte” ou algo assim?

Claro, aí ao invés de me respeitarem por ser um assassino, vão dar risada de mim. “Anjo da morte”... Pense antes de dizer tais absurdos.

Você não acha que estamos batendo papo demais aqui e o sentido original disso aqui está se perdendo?

Espera aí, se você acha que irá me persuadir tentando falar que, por uma conversa vamos criar uma amizade, está enganada. Você vai morrer hoje aqui. Eu sou um serial killer, não um animador de festas.

Bom, se é isso que você diz. Estou pronta pra passar dessa pra um pior mesmo...

Legal saber disso, pois essa conversa está me deixando nervoso.

Está na hora então?

Sim, agradeça por eu estar fazendo isso por você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário