quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Ser Zumbi é frustrante

Nós nascemos, crescemos e morremos. Este é o triste clichê de toda a existência humana. Não adianta insistir, gritar, nem comprar no Ebay: você nunca terá uma vida eterna. A não ser que você se torne Edward Cullen e brilhe muito no Crepúsculo. Fora isso, seu destino está traçado.

Mas todo este dilema de vida/morte requer um pouco da nossa atenção: desde os primórdios muitas pessoas já disseram que presenciaram o aparecimento em carne podre e osso, de Zumbis. Não é de se duvidar que algo assim já tenha acontecido, pois o Mundo é enorme e gente morta perambulando por aí é o que não falta. Porém estas pobres criaturas também têm seus problemas, suas necessidades, é disto que vamos falar agora.


A sociedade não respeita estes seres que são apenas uma versão estragada de nós mesmos, o senso-comum indica que devemos nos precaver de qualquer ameaça que estes “animais” tentam promover. Coitados, os Zumbis somente procuram buscar seu próprio espaço e apesar de serem carnívoros, eles querem o bem de todos. Isto os frustra.

O que os deixa com uma pulga atrás da orelha (se ela ainda não tiver caído) é não poder cuidar da parte estética de suas peles. Toda vez que tentam passar um cremezinho encontram o problema de um pedaço do rosto cair, ou o olho entrar no crânio etc. Se eles querem jogar vôlei o braço cai, futebol a perna voa longe e assim por diante.

Devemos respeitar nossos semelhantes assim como eles nos respeitam. Se eles devoram nossas cabeças, qual é o problema? O preconceito já está saturado e vivemos no século XXI. A vida é curta e já passou da hora de aceitarmos nossas diferenças.


-
Agradeço a ideia da Marillilei para o post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário